Gestão de Pessoas para Engenheiros

Almiro dos Reis Neto*

Muitos engenheiros se tornam líderes de equipes e passam a ser responsáveis por gestão de pessoas, mas nem sempre foram preparados para esta função. Eu, como engenheiro, também vivi esta situação e gostaria de compartilhar algumas dicas com meus colegas de formação, mas resolvi fazer isto de uma forma diferente: através de 7 Leis da Física e da Economia.

Espero que gostem e que seja útil! 

As 7 Leis que escolhi para conversar sobre Gestão de Pessoas são:

1.    Pareto
2.    Inércia
3.    Alavanca
4.    Ótica
5.    Dois corpos não ocupam o mesmo lugar no mesmo tempo
6.    Resiliência
7.    Murphy

 

Lei de Pareto

Também conhecida como o “Princípio de 80/20”, a Lei de Pareto foi criada pelo economista italiano Vilfredo Pareto. Esta lei diz que 80% das consequências advêm de 20% das causas. Em outras palavras, se resolver 20% dos problemas terá resolvido 80% de suas preocupações.

Pareto também pode ser aplicado para gestão de pessoas, ou seja, 80% dos problemas de uma equipe são, provavelmente, oriundos de 20% dos colaboradores, e, portanto, se o líder trabalhar sobre estes colaboradores, mitigará sensivelmente os  problemas de sua equipe relacionados a pessoas.

Como em qualquer outra área, não tenha receio de focar sua atenção nos 20% que provoca seus maiores problemas. Isto significa que você deverá conversar com estas pessoas e entender primeiramente seus problemas.

São problemas que você pode solucionar? Ou não? Ou fogem à sua alçada?

Cuidado para não criar soluções fora da regra da empresa. Aliás, antes de mais nada, verifique as regras da empresa e o que pode ser feito. E conte com o apoio da área de RH, se achar necessário e conveniente.

Em último caso, avalie uma transferência ou uma demissão.

Em termos de estatísticas gerais de desempenho, em vez dos 80/20, é comum verificar algo como 15 / 70 / 15, ou seja:

·      15% dos colaboradores tem desempenho abaixo do esperado;
·      70% tem desempenho “sólido”, ou dentro do esperado, e
·      15% tem desempenho acima do esperado.

Sendo 15% ou 20%, o que vale é o conceito de foco recomendado por Pareto! Inclusive nas duas pontas: foco nos colaboradores com melhor desempenho, que vão lhe ajudar em seus resultados, e foco no nos colaboradores com baixo desempenho, que você precisará cuidar.

Princípio da Inércia

Um corpo não submetido à ação de forças não sofrerá variação de velocidade, ou seja, se está parado, permanecerá parado, e se está em movimento, permanecerá em movimento em linha reta e a sua velocidade se mantém constante. Tal princípio, formulado pela primeira vez por Galileu e, posteriormente, confirmado por Newton, é conhecido como primeiro princípio da Dinâmica (1ª lei de Newton) ou princípio da Inércia.

As pesquisas mostram que, no geral, as pessoas entram na empresa para ficar. Eventual exceção feita a alguns grupos específicos, como estagiários, temporários e outros.

Em tempos de mudança contínua como o que vivemos todo líder é um agente de mudança e deve estar preparado para ajudar sua equipe a se adaptar às novas estratégias da empresa. O problema é que apenas cerca de 1/3 das pessoas se engaja prontamente nas mudanças propostas pela empresa. Os demais resistem ou pagam para ver. Existe, portanto, uma inércia natural aos processos de mudança.

Se você é um líder de mudança, identifique rapidamente aqueles que se engajam na mudança, e trabalhe nos que resistem. É absolutamente normal que você tenha que de “aplicar uma força” para que este grupo saia de sua inércia natural.

Lei da Alavanca

O grego Arquimedes cunhou a expressão: “se me derem um ponto de apoio e uma alavanca, moverei o mundo”.

Você está com um grande problema e não consegue resolver? Que tal usar uma alavanca? Uma alavanca pode ser uma nova ideia, um novo caminho, uma pessoa de sua área, ou pessoa de fora de sua área. Já que estamos falando de gestão de pessoas, eu gostaria de sugerir usar a área de RH/BP (Business Partner) de RH para lhe ajudar.

Por vezes, estamos tão imersos em nossos problemas que não conseguimos enxergar a solução e uma pessoa de fora, com a cabeça e o coração tranquilos, vê a solução rapidamente.

Para mim, a “Lei da Alavanca” de Arquimedes, neste contexto, significa a busca de soluções inovadoras e também saber pedir ajuda e apoio e, assim, conseguir fazer o que parecia impossível.

Lei da ótica

Ao atravessar a fronteira entre dois meios com diferentes densidades e índices de refração, a luz muda sua trajetória, e este efeito pode causar séria confusão entre os menos avisados.

Eu gosto de pensar nesta Lei para situações de comunicação ou negociação: sempre faz me lembrar que o ponto de vista do outro (a ótica) pode ser, e frequentemente é, diferente do meu. E que é preciso conhecer mais o meio (a cultura) em que o outro está imerso para que possamos nos entender.

Muitos profissionais se orgulham de sempre tratarem todos de forma igual, de nunca fazerem distinção. “Falo com tudo mundo da mesma forma”! Em termos de eficácia de comunicação e negociação é preciso customizar, ou seja, ajustar sua linguagem, para cada interlocutor. Falar sempre de uma única forma não é o melhor caminho para o entendimento entre duas pessoas.

Vale lembrar que muitas vezes nosso entendimento de determinada situação possa estar distorcido em função de onde estamos posicionados e como estamos vendo o problema. Procure observar o problema do ponto de vista de seu interlocutor.

Dois corpos não ocupam o mesmo lugar ao mesmo tempo

Vejo frequentemente gestores querendo revogar esta lei na prática.

Uma vez promovidos, muitos engenheiros parecem preferir manter suas atividades de origem ao invés de assumirem suas novas atividades de liderança, abrindo, assim, espaço para uma enorme confusão em seu time de liderados. Ao se ausentarem de suas funções de liderança fazem surgir uma novas lideranças dentro do time que tentam pôr ordem na casa, sem ter a autoridade.

E como dois corpos não ocupam o mesmo lugar ao mesmo tempo, um dos dois será colocado no seu devido lugar ou em outro lugar. Em outras palavras, poder não deixa vácuo e não é possível duas pessoas distintas assumirem a liderança de um mesmo time!

Assuma seu papel de liderança!

Resiliência

Resiliência é um conceito oriundo da física que vem sendo amplamente adotado na área de gestão de pessoas.

O conceito original se refere à propriedade de que são dotados alguns materiais de acumular energia quando exigidos ou submetidos a estresse sem ocorrer ruptura, e de retornarem à sua forma original, após a ausência da força de estresse.

A área de gestão de pessoas emprestou o conceito de resiliência da física para significar a competência do indivíduo que aguenta fortes doses de estresse em seu trabalho mantendo sua capacidade produtiva. Vale ressaltar que a resiliência humana pode e deve ser construída através de alimentação saudável, exercícios e meditação. Bancar o herói sem preparo prévio, ou exagerar na dose, é pedir para ir parar no hospital!

Lei de Murphy

Todo mundo conhece a Lei de Murphy que vaticina que “se algo pode dar errado, vai dar errado”.

Todo líder que já conduziu algum projeto importante conheceu Murphy de perto, especialmente trabalhando com grandes equipes. Pessoas são humanas, afinal, e situações inesperadas devem ser consideradas. Doenças, mortes na família, problemas na escola dos filhos, dor de barriga, e erros de entendimento acontecem.

Tenha sempre seu plano B. Afinal, estamos falando de gente e não de máquinas!

Boa sorte e sucesso.

* Almiro dos Reis Neto é Engenheiro de Produção pela Escola Politécnica da USP, Consultor de RH, e professor da FGV no MBA de RH

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here