Olá tudo bem?! Espero que esteja tudo na paz!
No artigo de hoje vamos mostrar como utilizar um multímetro simples. Aposto que a maioria dos iniciantes já teve contato com um desses, que custa em torno de R$15 no camelô.

Vamos iniciar esse artigo falando sobre suas escalas de medições:

Na escala que esta citado na imagem abaixo através da seta é a escala ACV que serve para realizar as medições em tensão alternada, tendo um limite máximo de 750V, ou seja você poderá medir tensões alternadas de 0V até 750V. Se você quiser medir tensões abaixo de 1V como 0,200 milivolt em tensão alternada, esse multímetro já não esté preparado para isso.

Uma dúvida comum: Se eu medir 220V na escala 200V o multímetro queima? NÃO! Ele apenas mostrará o numero 1, não dando leitura nenhuma. Na escala 200V você pode medir, por exemplo, tensões de 127V ou qualquer outra abaixo de 200V.

Agora vamos observar outra escala, destacada abaixo com uma seta informando “escala DCV”. Essa escala serve para medir tensão contínua, com um ajuste de 200 milivolt a 1000V em tensão contínua. É ideal para medir pilhas, baterias e circuitos de placas eletrônicas.
Abaixo temos a escada DCA que serve para medir corrente elétrica, seja ela alternada ou contínua. Para realizar a medição o aparelho deverá estar em série com o circuito. Vamos ver um exemplo logo abaixo.
Abaixo, está a escala para medir resistência em resistores, essa escala na prática serve mais para quem trabalha bastante com placas eletrônicas e precisa saber o valor de resistores.
Existem diversos resistores com infinidade de valores de resistência.
Abaixo, temos a escala de medir diodos, porém muitos eletricistas utilizam essa escala para medir continuidade, ou seja, para identificar fios rompidos ou até mesmo curto circuitos na rede, pelo fato de ele emitir um aviso sonoro. O correto, no entanto, é medir continuidade pela escala de resistência.
Abaixo temos a escala de medir transistor que é um componente eletrônico que eu particularmente nunca tive a necessidade de medir nem testar 🙂
Sobre o hFE
O Parametro hfe é conhecido como fator de ganho do transistor. Explicando de uma forma rápida, se um transistor tem hfe de 100, isso significa (numa configuração emissor comum por exemplo) que a corrente de coletor dele será 100 vezes maior (teoricamente) que a corrente de base.
Ou seja se a corrente de base for 1 mA, a corrente de coletor será 100 mA.
Na prática a corrente é limitada pelas características elétricas do componente, fonte de alimentação, etc.
isso é um transistor para quem não sabe ou nunca viu
Bom falamos um pouco de cada escala que vamos abordar nesse humilde aparelho de medição elétrica. 
Posições das Pontas de Prova
Antes de ver os exemplos de medição veja onde e qual orifício colocar as pontas de prova para realizar as medições:
Vamos agora aos exemplos de utilização!
Tensão alternada:
Medindo tensão alternada, no nosso exemplo temos 2 fases e 1 neutro onde a tensão entre fase/fase é de 220V, e fase/neutro é de 127V. Numa rede bifásica, como no exemplo abaixo, medimos entre 2 fases na escala ACV tensão alternada que é a energia que recebemos em nossas residencias.
Observando a imagem acima, deixamos na escala ACV e na opção 750V para o aparelho medir acima dos 200V, certo? Se fosse 127V, poderíamos deixar nos 200V. Eu sempre deixo direto em 750V, é um costume e você também pode deixar.
Agora, vamos ver o exemplo de medir a rede em 127V, onde mediremos entre fase e neutro. Vejamos o exemplo abaixo:
Conforme exemplo acima medindo entre fase e neutro da nossa rede temos o valor de 117.9V. É difícil a rede apresentar certinho o valor 127V ou 110V.
O importante é que esteja sempre de acima de 105 volts para tensão 110V, e acima de 205 volts para rede 220V.
Observe que deixamos na escala 200V pois o aparelho consegue medir até 200V então ele medirá sem problemas.
Na rede trifásica em 380V temos 380V entre as fases e 220V entre fase e neutro. Nesse tipo de fornecimento não existe 127V.
Exemplo acima: na medição entre fase e fase temos 380V. Abaixo, na medição entre fase e neutro temos 220V.
Tensão contínua
Agora vamos ver exemplos de medição de tensão contínua, com a qual podemos medir pilhas, baterias e diversas fontes que trabalhem com tensão contínua, ou seja, tendo as polaridades + e -. Vejamos o exemplo:
No exemplo tenho uma bateria de 9V, então deixo o multímetro na escala de medição até 20V, para um resultado mais preciso. Se eu deixasse em 200 milivolt, por exemplo, ele não daria resultado nenhum.
Se você for medir a tensão da bateria de um caminhão, que é de 24V em tensão contínua, você colocaria o seletor na escala 200V para obter o resultado. Veja mais exemplos:
Medindo a tensão contínua de uma pilha de 1,5 Volts. Se colocarmos 2 pilhas em série teremos 3V. Veja o exemplo abaixo:
Nas pilhas em série o valor de tensão é a somatória das tensões, certo? Se estivesse em paralelo, teríamos o mesmo valor: 1,5V.
Corrente elétrica:
Vamos ver agora o exemplo de como medir corrente elétrica nesse tipo de aparelho. O ideal, na realidade, é você realizar as medições de corrente com um aparelho chamado amperímetro. Isto porque para você medir a corrente elétrica é preciso deixar o multímetro em série com a carga (o que faz a corrente percorrer o aparelho durante a medição). No exemplo abaixo, utilizamos uma lâmpada para realizar a medição da corrente.
Acima, temos uma lâmpada com a tensão alternada de 127V e uma potência de 60 watts. Medindo através do aparelho (em série) ele dará o resultado de 0.47 amperes de corrente. Repare que a Ponta de Prova está acoplada ao outro furo, diferente do usado para medir a tensão.
Resistência
Vamos ver agora exemplo de medição de resistor na escala de resistências (OHMS). No mercado existem inúmeros tipos de resistor, e seus valores mudam conforme as cores em cada um (mas isto é assunto para outro post). Se você tiver resistores para testar, você pode efetuar o seguinte exemplo:
No exemplo temos um resistor de 20K. Na escala correta ele dará o valor exatamente, mas posso medir outras resistências, como as de chuveiros, por exemplo? Ou talvez de aquecedores? A resposta é SIM, você pode medir até mesmo a resistência de um condutor elétrico (fio e cabos).
Diodos e continuidade
Abaixo, vamos falar sobre a escala diodo e como você pode utilizar essa escala além de medir diodos também medir continuidade e verificar se um cabo elétrico esta rompido ou em curto circuito.
Observe acima, vamos imaginar que esse emaranhado de linhas pretas seja um fio elétrico. Ele vai e volta, certo? Se ele não estiver rompido, sempre terá o resultado 002 ou 001, e terá um aviso sonoro apitando. Muitas das vezes em circuitos elétricos esses apitos significam “curto-circuito”.
Se você medir as 2 extremidades e não tiver som nenhum, ou se o resultado não sair de 1, significa que o circuito esta aberto. Veja o exemplo:
Quando digo “o resultado ficará 1” estou me referindo à maioria dos aparelhos, mas não posso confirmar que todos agirão dessa forma.
Se você estiver localizando um curto circuito na rede e suas medições não derem em nada (ou seja, se o aparelho ficar em 1 ou nem apitar), muitas das vezes isto significará que está tudo bem e que você pode ligar o disjuntor. Mas lembre-se: motores e enrolamentos podem apitar, mesmo que o circuito esteja bem.
Outra forma de medir a continuidade da fiação é através da escala resistência. Porém, esta opção geralmente não tem o apito sonoro.
Para isto, basta medir as extremidade das pontas dos circuitos. Se a medição der algum valor, significa que o circuito esta fechado, conforme o exemplo acima. Normalmente deixo o seletor na escala 20K mesmo, e o resultado será 002, caso você meça e dê o resultado 1 significa que o cabo pode estar rompido ou que o circuito esta OK. Tudo vai depender do que você esta realmente procurando.
Como disse acima, se não der valor nenhum (ou seja, se ficar em 1) significa que circuito está aberto, como no exemplo acima, mas não necessariamente isso pode ser um problema, OK?
Todos esses testes e resultados foram realizados na prática aqui em meu laboratório. Espero que vocês tenham entendido melhor sobre como utilizar um multímetro simples.
Em resumo: nesse tipo de aparelho o eletricista vai praticamente utilizar apenas as escalas ACV para medir tensão alternadas da rede e das tomadas. Também poderá usar as escalas de tensão contínua, de resistências ou a escala diodo para identificar curto-circuitos ou encontrar circuitos abertos.
Até o próximo artigo!
Forte abraço do Felipe Vieira!
Venha conhecer mais sobre o Blog Ensinando Elétrica.

Gostou desse conteúdo?

2

0