Alvenarias com Composto de Vermiculita Expandida e Elastômeros Especiais

A ABNT NBR 15.575:2013 trouxe à tona uma ampla discussão sobre a viabilidade das soluções acústicas oferecida pelo mercado, seus impactos financeiros e operacionais no processo construtivo e comprovação de desempenhos oferecidos. Amplo espectro de pesquisa foi desenvolvido com objetivo de verificar o comportamento da Vermiculita Expandida, associada à compostos elastoméricos, quanto à sua capacidade de aumento do desempenho acústico de alvenarias, buscando oferecer uma opção segura e economicamente viável para o atendimento à Norma de Desempenho.

vermiculitaForam realizados ensaios para determinação do Índice de Redução Sonora Ponderado (Rw), de diferentes composições e processos visando compreender um padrão de comportamento do composto, quando confinado nos vãos de alvenarias, variando os tipos de blocos utilizados, nas espessuras de 9 – 11,5 – 14 e 19 cm.

Os resultados comprovam que o composto contribui no aumento da energia dissipada e a consequente redução da energia transmitida pelo sistema com potencial de substituir os processos convencionais de contraparedes, e grauteamentos com argamassas ou concretos, que impactam significativamente em perda de produtividade e oneração da construção.

Os ensaios, laboratoriais e de campo, demostraram que o composto permite às alvenarias convencionais atenderem os desempenhos acústicos prescritos na ABNT NBR 15.575-4:2013, atingindo os níveis mínimo, intermediário e superior.

O receio de não ter resposta imediata do consumidor, pelas onerações impostas pelas exigências da norma têm provocado uma sucessão quase histérica de tentativas e soluções de canteiro.

“Quero manter o meu gesso de 5 mm em cada lado”.

“Não quero fazer paredes duplas… encher de graut é trabalhoso e dificulta a manutenção pós obra…”

“Minha parede já atende a Norma porque o Manual da Associação fulana disse que atende”…

Ouço de tudo. Mas também ouvi o consenso de que apenas parcerias, a exemplo do que ocorreu na indústria automobilística anos atrás, poderá levar a soluções duradouras, tal como associar construtoras com industrias locais, gerando soluções regionais.

Só este tipo de sinergia colaborativa dará atendimento à Norma de Desempenho que veio para ficar.

Soluções existem muitas. Mas a obra quer o menor impacto na cultura construtiva, quer facilidade de acesso ao produto e à assistência técnica, quer simplicidade de processo, quer preço.

Durante toda a pesquisa, em diversas construtoras de todo país, uma frase ficou marcada, dita por um Diretor: “Neste momento estamos buscando a forma mais barata de ganhar um decibel! ”.

No fim, uma bateria de ensaios em dois laboratórios renomados e ensaios de campo, em obras, desanuviou algumas dúvidas e mitos que ouvimos há tempos como:

  • Os resultados comprovam que as técnicas de alternar materiais de diferentes impedâncias produzem resultados melhores que o simples aumento da massa: Industrias que buscaram apenas aumentar a massa dos blocos não adicionaram ganho significativo em isolamento sonoro, frente ao custo e prejuízo ergométrico dos produtos.
  • Reboco com gesso é melhor para a acústica que o convencional: Ensaios mostraram que o revestimento argamassado cimentício é mais eficiente que o gesso.

Abaixo apresentamos um resumo das eficiências do sistema de preenchimento das cavidades confinadas dos blocos de concreto e cerâmico, comprovadas em ensaios de campo.

vermiculita2

 

Jeorge Frances

Bel. Engenheiro Civil

Gerente P&D da Brasil Minérios S/A

2 COMENTÁRIOS

  1. Parabéns pelo trabalho, e associar a vermiculita a uma estrutura que já é bastante usada no mercado é maravilhoso, pois é um material leve, fácil de trabalhar e se adere bem a parta de cimento, nos proporcionando também uma boa resistência, alem do acústico devemos lembrar que iremos ganhar no isolamento térmico.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here