Na iluminação de paisagens devemos tomar alguns cuidados, o principal é saber inicialmente o que estamos iluminando e quais os atores envolvidos nesta equação entre humanos, plantas e animais, porque cada um deles pode ter necessidades diferentes. Isto porque a Poluição Luminosa está prejudicando os ecossistemas em todo o mundo e o tema tem recebido pouca atenção.

Sabemos que o a luz é a grande responsável pela fotossíntese nas plantas, durante o dia, mas as plantas também respiram, e fazem isso no escuro durante a noite.

Além dos cuidados com as fontes que podem queimar as plantas, (o LED neste caso é a melhor solução) é necessário avaliar bem o projeto e luminárias adequadas a cada tipo de instalação.

Tente iluminar o mínimo possível, e utilize equipamentos de automação como sensores de presença e temporizador para ligar a luz somente o necessário.

Slide1

É difícil dizer qual a maneira correta de iluminar, porque dentro do ponto de vista mais saudável, deveríamos simplesmente nos recolher a noite e não iluminar, mas é uma solução utópica e devidas as reais necessidades da vida moderna, o ideal é estudar caso a caso a melhor solução para uma iluminação correta; pássaros, roedores, insetos, mamíferos e anfíbios, cada qual tem suas características evolutivas e necessitam diferentes cuidados na iluminação das áreas externas.

Milhares de aves ficaram presas durante as comemorações de 11/9. O tributo de Luz é lindo, mas da mesma maneira que nos encanta, encanta as aves que estão em migração entre a América do Sul e o Canadá. Elas descem em redemoinho através da luz e morrem à exaustão.

Muitas outras aves migratórias noturnas morrem ao encontrar fontes de luz artificial.
Torres elétricas, torres de petróleo, grandes indústrias e todas as estruturas iluminadas em excesso causam alguma desordem na natureza.

As Plataformas de petróleo matam milhares de pássaros nos oceanos, felizmente já existem alguns estudos publicados com este assunto e já temos algumas estruturas em teste com resultados positivos.

O Movimento migratório dos pássaros é movido pela glândula pineal que está no centro do cérebro, curiosamente nosso ciclo circadiano e a produção de melatonina no homem também está ligado à glândula pineal.

As plataformas que utilizam luz verde em sua iluminação demonstram menores impactos na atração das aves.

Slide2

A luz verde desperta menos curiosidade nos pássaros, mas causa reação contraria nos peixes… como tudo aquilo que o ser humano descobre para um bem é utilizado de maneira diversa, os pescadores já tem utilizado a técnica para pescar com mais facilidade.

Slide3

Difícil dizer o que é certo e o que é errado, portanto, tudo depende.
Dica básica: Evite luz branca nos jardins e varandas da casa, a luz amarela atrai menos os insetos.
Até a próxima!
Silvia Carneiro
Arquiteta especialista em Iluminação, titular do escritório de Luminotécnica IRIS um olhar para o Futuro.
Consultoria Luminotécnica em Arquitetura & Sustentabilidade.
Mobile: 55.11.99222.6616
Email: silvicarneiro@terra.com.br

Artigo anteriorA importância estratégica da Gestão de Suprimentos
Próximo artigoPor que implantar o BIM?
Silvia Maria Carneiro de Campos, natural de São Paulo, onde reside, atua no mercado de iluminação LED desde 2008, arquiteta especialista em iluminação LED, com Pós Graduação em Iluminação e Design de Interiores e Master em Arquitetura & Iluminação. É titular do escritório IRIS um olhar para o futuro, e atua como Consultora de Negócios, inteligência estratégica e Relacionamento à industrias de iluminação, oferecendo atendimento técnico aos arquitetos e especificadores luminotécnicos em Projetos com tecnologia LED e Projetos Luminotécnicos de diversos seguimentos. Também dá aulas de iluminação em cursos de Pós Graduação. Certificada em Acessibilidade pela SMPD-SP foi colaboradora no CB-40 comitê de acessibilidade na revisão da ABNT 9050/15 e do comitê CB-03 COBEI da ABNT, onde participou da revisão das normas ABNT 5101 (Iluminação Pública) e 5413 (Iluminação de ambientes de trabalho, atual ABNT ISO/CIE 8995-1). Atualmente é colaboradora do grupo de projetos luminotécnicos da Comissão de Estudo Especial Modelagem da Informação da Construção (BIM) – Grupo de Trabalho sobre Componentes BIM ABNT/CEE-134

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here