impermeabilização

A impermeabilização é “uma técnica que consiste na aplicação de produtos específicos com o objetivo de proteger as diversas áreas de um imóvel contra ação de águas que podem ser de chuva, de lavagem, de banhos ou de outras origens.” A definição é do IBI (Instituto Brasileiro de Impermeabilização).

A água, de fato, é uma das principais causas de manifestações patológicas nas construções. Se não for bem escoada e/ou a estrutura não estiver protegida de forma adequada, penetra até atingir as ferragens, causando oxidação das armaduras e o consequente comprometimento do desempenho da edificação.

É importante ressaltar que impermeabilizar não se resume à mera aplicação de produtos químicos. O primeiro passo é contratar um bom projeto de impermeabilização, devidamente compatibilizado com os demais (arquitetura, estrutura, instalações etc.). É função do projetista analisar o tipo e o uso da edificação, a interface com outras especialidades, as ações de agentes ambientais, os microclimas e os tipos de proteção mais adequados.

De acordo com o IBI, quando feita de forma correta, com produtos e serviços adequados, executados por empresas idôneas, os custos de uma impermeabilização atingem, na média, 2% do valor total da obra. Caso sejam constatados problemas com infiltrações na edificação finalizada, o custo da impermeabilização corretiva dispara, envolvendo até valores que podem chegar até 10% do total da obra.

Os impermeabilizantes, de uma maneira geral, são divididos de acordo com seu componente principal, ou seja: cimentícios, asfálticos ou poliméricos. Segundo o editorialista do Blog da Construliga e especialista no assunto, Marcos Storte, “alguns se incorporam à estrutura, outros sob a forma de mantas pré-fabricadas ou moldados no local.”

Os impermeabilizantes cimentícios são vendidos como argamassas industrializadas, produtos bicomponentes ou aditivos químicos para argamassa ou concreto. Com uma cura adequada, apresentam baixa porosidade e estanqueidade. Os poliméricos também podem ser encontrados sob a forma de pinturas, compondo um revestimento impermeável.

Os sistemas asfálticos moldados in loco, depois de secos, formam uma membrana protetora que, além de garantir a estanqueidade das estruturas, se adaptam bem às movimentações a quais estão sujeitas, por serem mais elásticos.

Para auxiliar os profissionais da construção civil na especificação dos impermeabilizantes, a equipe da ConstruLiga localizou links de acesso aos catálogos eletrônicos, manuais técnicos e/ou guias online de 21 fabricantes que atuam no mercado nacional. Acesse e confira as dicas de projeto e aplicação/execução para cada sistema específico.

Leia Mais:
http://ibibrasil.org.br/publicacoes/

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here