Para o vice-presidente de Economia do SindusCon-SP, Eduardo Zaidan, “o custo da construção paulista em 2017, inferior à inflação, foi o mais baixo dos últimos anos, refletindo a expressiva queda de atividade do setor.”

Com desoneração
Nas obras incluídas na desoneração da folha de pagamentos a alta foi de 0,29% no CUB na comparação com novembro, totalizando R$ 1.231,12 por metro quadrado. Em 12 meses, o indicador registra alta de 2,54%.

Na mesma base de comparação, foi registrada participação de 58,52% nos custos de mão de obra, 38,01% de materiais e 3,47% em despesas administrativas.

Custos dos insumos
Em dezembro, dois itens registraram altas mais expressivas: chapa compensado plastificado 18mm (4,07%) e esquadrias de correr 4 folhas al. 2,0×1,04m (3,91%). Entre os materiais de maior relevância para o cálculo do CUB, concreto FCK=25 MPa teve alta de 0,36%. O aço CA-50 Ø 10 mm permaneceu estável, enquanto o cimento CPE-32 saco 50 kg teve queda de 1,28%.

Custo Unitário Básico (CUB)
Calculado pelo SindusCon-SP e pela Fundação Getulio Vargas (FGV), o Custo Unitário Básico (CUB) é o índice oficial que reflete a variação dos custos mensais das construtoras para a utilização nos reajustes dos contratos de obras.

Sobre o SindusCon-SP
O SindusCon-SP é a maior associação de empresas do setor na América Latina. Congrega e representa 616 construtoras associadas de diferentes portes em todo o estado. A construção paulista representa 26,5% da construção brasileira, que por sua vez equivale a 4,9% do Produto Interno Bruto do Brasil.

da Assessoria de Imprensa do Sinduscon

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here